quarta-feira, 29 de julho de 2009

Art e Ciência

No fim de semana ouvi e vi coisas que gosto!
Ouvi uma entrevista dada pelo professor Alexandre Quintanilha na RTP Norte , cujo link não encontro, e no Domingo fui ver a exposição de Júlio Pomar no Palácio Anjos, em Algés.

Ah! e passeei pelo paredão e depois.... Domingo fiquei de gatas e hoje ainda estou um pouco kaput!


Lembrei-me desta entrevista que partilho!




e porque não podia de deixar de postar Pomar!






Pomar nos anos 2000 faz-me lembrar Gauguin!





terça-feira, 28 de julho de 2009

Meleck Mechaya

Um economista, um médico, um arquitecto, um biólogo e um professor de música juntaram-se e formaram os Meleck Mechaya

" Mas que raio é que leva cinco rapazes portugueses - e nenhum deles judeu, apesar de Miguel Veríssimo, o clarinetista, achar que teve um tetravô que o era - a escolher o klezmer, um género nascido há centenas de anos nas comunidades judaicas do centro e leste europeu, como a sua música de eleição?

Respostas: primeiro o acaso; e depois uma paixão profunda por esta música antiga e estranha, por eles misturada com outras músicas de que também gostam. O guitarrista André Santos e o violinista João Graça, colegas no Conservatório Nacional, receberam de um professor um livro com temas klezmer, que foram depois incluídos em espectáculos do duo de chorinhos brasileiros que André partilhava com o clarinetista Miguel. E gostaram tanto desses temas - o tradicional «Bulgar de Odessa» ou «Misirlou», tornado mundialmente famoso na versão de Dick Dale - que juntaram mais três amigos para tocar um reportório klezmer completo: João Graça no violino, Francisco Caiado na percussão e João Novais (aka João Sovina) no contrabaixo." retirado aqui








segunda-feira, 27 de julho de 2009

sábado, 25 de julho de 2009

Gad et les maths

Sempre foi e será bom falarmos várias línguas!

Oiçam e riam!

Uma brincadeira para Final de Ano Lectivo:

gad et les maths from cmambourg on Vimeo.

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Sol, energia...

Aqui, em Portugal, há Sol!

Que tal aderir?




Sabe que a primeira fábrica integradora na área fotovoltaica do país vai instalar-se em Abrantes?

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Eclipse - Onde estás Sol?







e http://video.clipta.com/Solar_Eclipse_video_From_NASA__v26431ba4d4c9abbd6538



Este será o maior eclipes do Sol deste século XXI, o próximo ocrrerá em 2132!

E um pouco de Matemática ao redor do Sol:

"A lua orbita a Terra, mas existe um terceiro corpo, o Sol, que complica enormemente a questão. Enquanto a Terra e a Lua se atraem mutuamente, o Sol perturba a posição da Terra e produz um feito bamboleante na órbita da Lua. É possível criar equações para determinar os efeitos de qualquer um desses corpos, mas os matemáticos do século XVIII não conseguiam incorporar um terceiro corpo em seus cálculos. Mesmo hoje é impossível obter a solução exata do chamado “problema dos três corpos”.
Simon Singh in ‘O último teorema de Fermat’

terça-feira, 21 de julho de 2009

segunda-feira, 20 de julho de 2009

40 anos de alunagem!

imagem retirada no Google





Olimpíadas Internacionais da Matemática

Vinha no carro, ouvi as notícias da meia-noite, e fiquei contente! Estudar Matemática vale a pena!


Muitos parabéns Pedro Vieira e a toda a equipa portuguesa!



Pedro Vieira, aluno do 12.º ano do Externato Ribadouro, no Porto, conquistou a primeira medalha de prata portuguesa nas IMO, as mais antigas olimpíadas internacionais de ciências do mundo, que se realizam desde 1959.



A equipa portuguesa, de seis alunos, fica também para a história por, além de conquistar a primeira medalha de prata portuguesa, ter conseguido a melhor pontuação de sempre, 99 pontos, e a melhor posição na tabela geral, em 33.º lugar. Em 20 anos de participação, a melhor classificação portuguesa na tabela tinha sido em 1989, em 44.º lugar, no ano da sua primeira participação.

retirada a notícia aqui

Oiça aqui a entrevista com o Pedro Vieira:






Pedro Vieira foi o responsável pela medalha de prata.
Mas toda a equipa portuguesa está de parabéns.

Jorge Miranda, João Pereira e Ricardo Moreira (irmão de um ex-olímpico)
conquistaram as três medalhas de bronze, tendo Jorge Miranda ficado apenas a um pontode alcançar a segunda medalha de prata.

Gonçalo Matos e Raul Penaguião conseguiram
duas menções honrosas, por terem uma resposta totalmente certa.

As Olimpiadas Internacionais da Matemática, IMO , são as mais antigas olimpíadas internacionais de ciências do mundo.

A primeira edição teve lugar em 1959, na Roménia, com apenas cinco países.

Em 2009, estão a decorrer em Bremen, Alemanha, com a participação de 104 países.

A medalha de prata, as três medalhas de bronze e as duas menções honrosas agora conquistadas vêm-se juntar às oito medalhas de bronze e às 12 menções honrosas obtidas por Portugal desde a sua primeira participação.

Pedro Vieira e Jorge Miranda irão participar nas Olimpiadas Obero-Americanas da Matemática em Santiago de Queretaro, no México, no período de 17 a 27 de Setembro!

Força rapazes!





sexta-feira, 17 de julho de 2009

Porque hoje é o dia do F!

Ter uma Amizade é...

Ter alguém que
faz o tempo
para estar perto.
ainda que não
haja tempo...

Que sente vontade de nos ver mesmo não tendo
uma razão
em especial

Ter uma Amizade é...
Ter alguém que percebe
quand deve falar
e quando ouvir...
Que sabe que é tão
bm necessitar,
como ser necessitado.

Ter uma Amizade é...
Ter alguém que está
und no pensamento...
Que pde apagar o
passar do tempo
com o inesperado sm
da sua voz.

Ter uma Amizade é...
algo de maravilhoso
quando partilhada
como alguém com tu!

da A

Greg Osby



da m

sábado, 11 de julho de 2009

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Como nos atraiçoa a memória!!!


Nuestros recuerdos pueden traicionarnos

Científicos identifican la parte del cerebro responsable de la construcción de memorias falsas

MÓNICA L. FERRADO - Barcelona - 08/07/2009

La mente de cualquier ser humano puede acabar generando falsos recuerdos o distorsionando la forma en que algo ocurrió. El individuo puede estar tan convencido hasta el punto de defender como real una mentira construida por el propio cerebro. ¿Cómo nos traiciona nuestra memoria del pasado? En la zona blanca del cerebro se encuentran una serie de mecanismos que hacen que algunas personas sean más o menos susceptibles a la hora de construir falsos recuerdos, según indican los resultados de un estudio realizado por investigadores del Instituto de Investigación Biomédica de Bellvitge (IDIBELL) y la Universidad de Barcelona, que publica The Journal of Neuroscience.


Lo han podido observar gracias a un estudio en el que han participado 48 voluntarios sanos, hombres y mujeres de entre 20 y 30 años. Antes, los participantes pasaron un test para comprobar que no sufrían problemas de memoria. Tras someterlos a varias pruebas, comprobaron que el 75% de ellos recordaba como reales falsos recuerdos. Los investigadores pudieron observar las diferencias entre las partes del cerebro de las personas que tenían más recuerdos falsos y menos mediante una nueva técnica de diagnóstico por la imagen similar a la resonancia magnética, denominada Difusión Tensor Imaging.

Este tipo de estudios resultan de gran interés, sobre todo porque las técnicas de neuroimagen podrían llegar a tener importantes implicaciones en el ámbito judicial a la hora de valorar las declaraciones de testigos y víctimas. "Hay que dejar claro que no se trata de un proceso patológico, todos generamos recuerdos falsos", explica Lluis Fuentemilla, investigador del IDIBELL. Puede ocurrir, sobre todo, con recuerdos de situaciones vividas durante la infancia.

En los falsos recuerdos intervienen zonas del cerebro diferentes a las de los reales. Los investigadores han observado que la diferencia entre individuos se encuentra en la sustancia blanca. Las neuronas se comunican entre ellas mediante axones. En la sustancia blanca se encuentran las fibras nerviosas formadas por haces de axones que conectan las diferentes regiones del cerebro. Si un axón fuese el cable que proporciona luz a un hogar, la sustancia blanca sería el tendido de alta tensión que conecta una ciudad con una central eléctrica. Siguiendo el símil, en las imágenes recogidas por los investigadores han podido observar que los recuerdos reales y la memoria circulan por diferentes "tendidos de alta tensión".

Los recuerdos verdaderos se almacenan gracias a la actividad de la sustancia blanca que une las zonas del hipocampo y el parahipocampo. "La gente con recuerdos reales de mejor calidad acostumbran a tener un haz de axones mejor conectado. La hipótesis con la que trabajamos es que la gente que tiene recuerdos reales más firmes tendrá menos falsos recuerdos", señala Fuentemilla.

Por otro lado, los investigadores han podido ver que en la tendencia a generar falsos recuerdos interviene otro haz de sustancia blanca que conecta las estructuras fronto-parietales del cerebro. Quienes generan más recuerdos falsos también registran una mayor actividad en esta fibra nerviosa. "En realidad, se trata de un mecanismo que el propio cerebro utiliza a la hora de rellenar agujeros que quedan en nuestros recuerdos reales", aclara Fuentemilla.

En el estudio, los participantes tuvieron que recordar listas de palabras relacionadas semánticamente como, por ejemplo, sofá, mesa, sentarse, pupitre, balancín, piernas o taburete. Después de escuchar todas las listas, tuvieron que responder un cuestionario de reconocimiento en el que también aparecían palabras nuevas, muchas relacionadas semánticamente con la serie que se les había presentado, como por ejemplo silla. "En realidad, para generar el recuerdo falso utilizamos información que ya tenemos, no surge de la nada. Pero es tan real y creíble que el individuo acaba creyéndoselo", afirma Fuentemilla. "Creemos que la gente con recuerdos reales más firmes utiliza menos esta vía de rellenar agujeros", concluye.


sexta-feira, 3 de julho de 2009

O que eles fizeram....

No final de ciclo para nos lembrarmos do que os alunos fizeram, ainda pequeninos, acabados de chegar à escola secundária!

O Power Point é interactivo e esta capacidade só pode ser observada fazendo-se o download.

Jornal Matemática -scribd

quarta-feira, 1 de julho de 2009

Um dia em cheio!!!




Já fui à escola!
Mal entrei vi o Vasco do 10ºA! Que alegria! Espanto no olhar dele!
Nem conseguiu perguntar - Como vai stora? !
Um aluno fantástico em todas as dimensões de adolescente !
Outros alunos estavam na fila para as matrículas ( simplex? julgava que estava implementado! ) e devagarinho, muito devagarinho fui lá vê-los. Parece que cresceram! Olhinhos felizes por estarem em férias e com esperança no próximo ano! - stora, vai ser nossa professora de novo, não vai? Sorri! Não fui capaz de os deixar sem resposta e ... desejei-lhes muitas e muitas felicidades!



imagem retirada aqui

Ontem à tarde na sala do consultório o telemovel toca....
Era a Isabel T!
- Aguentas? Vamos à Fil?
Disse logo que sim! Já poder andar na rua é uma lufada de vida!
Já tive ordem para, devagarinho, começar a andar! Claro que aproveitei logo o passeio com a I e deambulei por aqueles corredores cheios de luz, cor, sons, cheiros...
Sentei-me, estiquei pernas, gozei um chá de menta, bolinhos marroquinos , que delícia e deliciei-me a ver gente!
Não resisiti e comprei uns chinelinhos brasileiros com a esperança de conseguir usá-los. Com calma, devagarinho...
Fiquei contente, o dia correu-me com o gosto da alegria e por fim ouvi outro telemovel, era uma voz gostosa -amanhã falaremos, mãe!