quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

Bon Nadal!

Bon Nadal se dice en Catalunya!

Estoy pasando las Navidades con mi familia en casa de mi hijo F, en Barcelona!

Não queria deixar passar o dia de Natal sem desejar Boas Festas e depois de ter dado um belo passeio com o F, sentada com o mac no colo, aqui vos deixo uma prendinha!

Não é por nada mas é que a Xina ficou sozinha em casa!!!

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Para energizar 2009!

A Fátima André do
revisitaraeducacao.blogspot.com enviou-me um email com esta árvore mas toda, toda animada!

Enchi-me de paciência e copiei um a um e restaurei a árvore, mas perdi os gifs animados!!!

Amanhã, ainda com mais calma , irei procurar gifs animados e reestruturo a árvore, as palavras não , essas manter-se-ão para que possamos todos ganhar energias no ano 2009!

Todos nós, portugueses precisamos de uma dose extra de energia, mas nós professores, dose extra não chega!

Mas como sou optimista e porque considero que a razão comanda a vida, aguardo com tranquilidade mas com uma vontade grande de ganhar e desejar energia e serenidade!


Kanimambo

a todos que , como eu , lutam!







João Maria Tudela com Kanimambo

Kanimambo, como se diz na minha Terra: obrigada

60 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos



10 de Dezembro de 2008


Considero que se deveria comemorar este dia na nossa escola!

Não vejo qualquer movimento nesse sentido, o que me entristece!

Pretendo discutir este assunto nas minhas turmas e promover uma actividade.

Procurando, procurando, decidi-me por uma que consta no kit da Netprof e como não sei se todos terão acesso a esta página aqui a evidencio.


ACTIVIDADES DE REFLEXÃO
1. UMA ÁRVORE DE DIREITOS HUMANOS



" Grupo-alvo: 1ºCiclo a Secundário
Os participantes trabalham em conjunto para criar uma
imagem que ajude a definir os direitos humanos e as
necessidades humanas.
Tempo: 30 minutos
Materiais: Marcadores, cartolina
Amnistia Internacional Portugal 1 2
PROCEDIMENTOS
1. Peça aos participantes, divididos em pequenos grupos, para desenharem uma
árvore numa cartolina grande.
• Escreva na árvore (sob a forma de folhas, frutos, flores ou ramos) os
direitos que eles consideram que todas as pessoas necessitam para viver
em dignidade e justiça.
• Uma árvore de direitos humanos precisa de raízes para crescer e florescer.
Dê raízes à árvore e classifique-as com as coisas que fazem os direitos
humanos florescer. Por exemplo, uma economia saudável, o cumprimento
da lei ou a educação universal.
2. Quando os desenhos estiverem completos, peça a cada grupo para apresentar a
sua árvore e explicar as suas razões para os pontos que incluiu.
IR MAIS ALÉM
1. Compare os frutos, folhas e ramos com artigos da Declaração Universal dos
Direitos Humanos e escreva o número do artigo ao lado de cada ponto.
2. Exponha estas árvores na sala de aula ou em locais públicos.
3. Identifique questões de direitos que sejam de especial interesse para si e para a
sua comunidade. "

in Netprof

Convém consultar as propostas de actividades e de leituras que este site propõe.

Direitos Humanos


Os direitos humanos são os direitos e liberdades básicos de todos os seres humanos. Normalmente o conceito de direitos humanos tem a idéia também de liberdade de pensamento e de expressão, e a igualdade perante a lei.

A Declaração Universal dos Direitos do Homem da Organização das Nações Unidas afirma:

Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e em direitos. Dotados de razão e de consciência, devem agir uns para com os outros em espírito de fraternidade.
Artigo 1º

[1]

A idéia de direitos humanos tem origem no conceito filosófico de direitos naturais que seriam atribuídos por Deus[2]; alguns sustentam que não haveria nenhuma diferença entre os direitos humanos e os direitos naturais e vêem na distinta nomenclatura etiquetas para uma mesma idéia. Outros argumentam ser necessário manter termos separadas para eliminar a associação com características normalmente relacionadas com os direitos naturais.[3], sendo John Locke talvez o mais importante filósofo a desenvolver esta teoria[4].

Existe um importante debate sobre a origem cultural dos direitos humanos. Geralmente se considera que tenham sua raíz na cultura ocidental moderna, mas existem ao menos duas posturas principais mais. Alguns afirmam que todas as culturas possuem visões de dignidade que se são uma forma de direitos humanos, e fazem referência a proclamações como a Carta de Mandén, de 1222, declaração fundacional do Império de Malí. Não obstante, nem em japonês nem em sânscrito clássico, por exemplo, existiu o termo direito até que se produziram contatos com a cultura ocidental, já que estas culturas colocaram tradicionalmente um peso nos deveres. Existem também quem consideram que Ocidente não criou a idéia nem o conceito do direitos humanos, ainda que se uma maneira concreta de sistematizá-los, uma discussão progressiva e o projeto de uma filosofia dos direitos humanos.

As teorias que defendem o universalismo dos direitos humanos se contrapõem ao relativismo cultural, que afirma a validez de todos os sistemas culturais e a impossibilidade de qualquer valorização absoluta desde um marco externo, que neste caso seriam os direitos humanos universais. Entre estas duas posturas extremas se situa uma gama de posições intermediárias. Muitas declarações de direitos humanos emitidas por organizações internacionais regionais põem um acento maior ou menor no aspecto cultural e dão mais importância a determinados direitos de acordo com sua trajetória histórica. A Organização da Unidade Africana proclamou em 1981 a Carta Africana de Direitos Humanos e de Povos[1], que recogia princípios da Declaração Universal dos Direitos Humanos de 1948 e adicionava outros que tradicionalmente se tinham negado na África, como o direito de livre determinação ou o dever dos Estados de eliminar todas as formas de exploração economica estrangeira. Mais tarde, os Estados africanos que acordaram a Declaração de Túnez, em 6 de novembro de 1992, afirmaram que não se pode prescrever um modelo determinado a nível universal, já que não podem se desvincular as realidades históricas e culturais de cada nação e aas tradições, normas e valores de cada povo. Em uma linha similar se pronunciam a Declaração de Bangkok, emitida por países asiáticos em 23 de abril de 1993, e de Cairo, firmada pela Organizãção da Conferência Islâmica em 5 de agosto de 1990.

Também a visão ocidental-capitalista dos direitos humanos, centrada nos direitos civis e políticos, se opôs um pouco durante a Guerra Fria, destacando no seio das Nações Unidas, ao do bloco socialista, que privilegiava os direitos economicos, sociais e culturais e a satisfação das necessidades elementais.

In Wikipédia

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

José Saramago propõe...








A Fundação José Saramago convidou o juiz espanhol Baltasar Garzón para uma conferência sobre direitos humanos a 11 de Dezembro, em Lisboa, anunciou hoje , ( 3 de Dezembro de 2008 )o escritor.

Durante o lançamento do seu livro "A Viagem do Elefante", que decorreu no Centro Cultural de Belém, José Saramago referiu que os 10 anos da entrega do Prémio Nobel da Literatura, que lhe foi atribuído em 1998, serão assinalados pela fundação nos dias 9, 10 e 11 de Dezembro.

As iniciativas que vão decorrer nesses dias partem do discurso que Saramago fez na altura em Estocolmo e lembram a Declaração Universal dos Direitos do Homem e homenageiam as letras e a Língua Portuguesa.

"Os direitos humanos não se cumprem", afirmou Saramago na sessão pública de lançamento do livro.

"Ali se diz que temos direito à educação e ao trabalho", frisou o escritor, convicto que esta é uma causa "pela qual vale a pena lutar".

José Saramago até "aconselharia os políticos em campanha eleitoral" a que façam da Carta dos Direitos Humanos uma questão central das campanhas.

No dia 9, no Cinema King, será exibido um filme de Carmen Castillo que fala do Chile de Allende e da repressão que se seguiu, revelou o escritor.

No dia 10, terá lugar uma homenagem à Língua Portuguesa, com a leitura de textos e poemas de autores portugueses numa sessão que vai contar com a participação de actores e do cantor Carlos do Carmo.

Na ocasião, Saramago lembrou também que há uns anos, quando recebeu no Brasil o Prémio Camões pediu "que olhassem pelo estado em que está a nossa língua" e lembrou mesmo que hoje acha que o acordo ortográfico era necessário.

"Acho que o acordo era necessário", afirmou, lembrando que no Brasil já viu publicadas num jornal as alterações que a escrita vai sofrer.

No dia 11, será o meditático juiz espanhol Baltasar Garzón a dar uma palestra, na Casa do Alentejo, sobre direitos humanos, devendo abordar Guantanamo.

EO.

Lusa/fim

domingo, 7 de dezembro de 2008

Pedir perdão! É um dever de...




Apesar De Você
Chico Buarque

Composição: Chico Buarque

(Crescendo) Amanhã vai ser outro día x 3

Hoje você é quem manda
Falou, tá falado
Não tem discussão, não.
A minha gente hoje anda
Falando de lado e olhando pro chão.
Viu?
Você que inventou esse Estado
Inventou de inventar
Toda escuridão
Você que inventou o pecado
Esqueceu-se de inventar o perdão.

(Coro) Apesar de você
amanhã há de ser outro dia.
Eu pergunto a você onde vai se esconder
Da enorme euforia?
Como vai proibir
Quando o galo insistir em cantar?
Água nova brotando
E a gente se amando sem parar.

Quando chegar o momento
Esse meu sofrimento
Vou cobrar com juros. Juro!
Todo esse amor reprimido,
Esse grito contido,
Esse samba no escuro.

Você que inventou a tristeza
Ora tenha a fineza
de “desinventar”.
Você vai pagar, e é dobrado,
Cada lágrima rolada
Nesse meu penar.

(Coro2) Apesar de você
Amanhã há de ser outro dia.
Ainda pago pra ver
O jardim florescer
Qual você não queria.

Você vai se amargar
Vendo o dia raiar
Sem lhe pedir licença.

E eu vou morrer de rir
E esse dia há de vir
antes do que você pensa.
Apesar de você

(Coro3)Apesar de você
Amanhã há de ser outro dia.
Você vai ter que ver
A manhã renascer
E esbanjar poesia.

Como vai se explicar
Vendo o céu clarear, de repente,
Impunemente?
Como vai abafar
Nosso coro a cantar,
Na sua frente.
Apesar de você

(Coro4)Apesar de você
Amanhã há de ser outro dia.
Você vai se dar mal, etc e tal,
La, laiá, la laiá, la laiáÂ…Â….


in Letras da Terra

Correcção da ficha!

Meninos ,
não sei o que se passa com o Scribd, pois qualquer documento que tenha inserido até à última semana de Novembro, o Scribd não as publica!!!

Bom vamos tentar colocar aqui a correcção da ficha"Referenciais cartesianos no plano. Condições e domínios" , a correcção das fichas mais recentes, também vou tentar disponibilizá-las aqui.

Cliquem na imagem para a verem maior!































Recebi pedidos para disponibilizar on line a correcção de uma ficha de trabalho.





















quarta-feira, 3 de dezembro de 2008