terça-feira, 12 de agosto de 2008

O céu, de dia é azul, de noite é preto, porquê?


Esta é uma pergunta que provavelmente já todos fizemos, porque é que de dia vemos o céu azul e de noite não o vemos dessa cor, pelo contrário o céu negro parece ser transparente , permitindo nas noites de céu limpo vermos a chuva de estrelas, as constelações e até a Via Láctea?

A primeira pessoa a tentar dar uma resposta coerente e bem fundamentada foi o físico britânico John Tyndall, em meados do século XIX.

Defendeu que a cor azul do céu podia ser causada pelo modo como pequenas partículas de pó ou gotículas de água podiam reflectir a luz azul da luz branca do Sol, que por ter comprimentos de onda curtos dispersava-se em todas as direcções do céu enquanto que a luz laranja e vermelha, que tem comprimentos de onda maior, podia atravessar o céu sendo relativamente pouco afectada.

Quando foi conhecida a existência das moléculas, outros cientistas compreenderam que a dispersão teria de ser feita pelas próprias moléculas do ar.

Foi só em 1910 que Albert Einstein provou, através de cálculos, que a cor azul do céu é produzida pela luz dispersa pelas moléculas do próprio ar (oxigénio e azoto).

A luz branca do Sol é na realidade uma mistura de todas as cores do arco-íris e aqui.

Este facto foi demonstrado por Isaac Newton, que usou um prisma de vidro para separar as diferentes cores que formam o conhecido espectro de luz visível.

As diferentes cores de luz são caracterizados pelo seu comprimento de onda. A parte visível do espectro estende-se desde o vermelho, com um comprimento de onda de cerca de 720 nm (nanómetros) até ao violeta, com cerca de 380 nm, com o laranja, amarelo, verde, indigo e azul.

Ora se as moléculas presentes no ar dispersam mais a luz com comprimentos de onda mais curtos, o céu deveria ser violeta!?

Paradoxo, não?

Como é que o céu é azul?

Sabe-se que grande parte da luz violeta é absorvida na alta atmosfera, pelo que nos chega muito pouca luz neste comprimento de onda.

Contudo, para que vejamos o céu azul temos de saber como é que os nossos olhos trabalham!

A retina localizada nos nossos olhos tem três tipos de receptores, denominados de vermelho, azul e verde.

Estes são mais sensíveis à luz correspondente a estes comprimentos de onda.

Deste modo os nossos olhos quase não conseguem detectar a luz violenta e como resultado vemos o céu azul.


Mas vejam aqui o Professor Rui Agostinho, com a sua arte de bom comunicador, a explicar a razão de o céu ser azul!

Sem comentários: